Fato: nuvens são de algodão

Um dos motivos por que gosto de voar longas distâncias é que, durante o dia, por mais carregado que esteja o tempo, quando se perfura a camada de nuvens densas sempre se encontra um sol forte e um céu azul. Depois, o voo até parece seguir mais tranquilo enquanto o avião bate suas asas ligeiramente acima daquela cama fofa de algodão. Dá vontade de pular, mas logo se muda de ideia quando se lembra de que a temperatura externa é negativa.

Salvo em voos, só me lembro de ter visto as nuvens de cima em duas ocasiões. A primeira delas foi num passeio em família, acho que pela Serra do Rio do Rastro. Não sei ao certo quando foi, mas a imagem tenho na memória. Talvez meus pais tenham fotos; sem dúvida foi antes de minha família conhecer fotografia digital. A outra delas foi há inacreditáveis cinco anos, quase seis, numa caminhada de 12 Km com o amigo Shaun no morro de Ingleborough, nos Yorkshire Dales.

Uma das fotos que fiz nessa segunda ocasião virou foto para A história da fotografia:

Outras fotos daquele passeio não servem tão bem no cabeçalho do site, mas retratam ainda melhor a impressão de estar no nível acima das nuvens, como num voo:

Pra quem quiser saber mais: contei a história completa da caminhada por Ingleborough aqui, no contexto do tour que fiz com o Shaun na Inglaterra em 2007.

3 ideias sobre “Fato: nuvens são de algodão

  1. Pingback: Mesmo quando não pode ser visto, Ele está lá | Martin D. Brauch

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s