Não desejo receber material publicitário: semana 1

Ao fim da primeira semana da minha campanha individual contra publicidade indesejada, minha caixa de correio tinha apenas sete itens. Dois eram correspondências endereçadas a mim. Os outros cinco eram publicidade indesejada:

Um folheto da Leroy Merlin (1) e outro da pizzaria A Fornalha (2). Interessante observar que o primeiro vinha com o pedido, “Não jogue este folheto na via pública”, e o segundo, “Mantenha a cidade limpa, não jogue este impresso no chão.” Ou seja, poluição nas ruas não pode, mas publicidade indesejada (isto é, poluição) na minha caixa de correio pode?

Outro folheto me sensibilizou e me irritou ao mesmo tempo: um pedido de doações a uma associação de cegos (3). Ainda que a causa seja nobre, não tenho certeza de que a distribuição de folhetos em caixas de correio seja a melhor forma de divulgá-la.

Por fim, os dois últimos itens (4 e 5) eram dois do mesmo: o anúncio de uma dita espiritualista que alegadamente teria impressionado o Brasil inteiro ao comprovar seus poderes na TV. Promete a solução de problemas sentimentais, profissionais, financeiros e familiares — inclusive trazer a pessoa amada de volta em três dias. (!)

A publicidade indesejada recebida nessa primeira semana evidencia o que pode haver de comum entre empresas respeitáveis, entidades beneficentes e charlatães.

7 ideias sobre “Não desejo receber material publicitário: semana 1

  1. Bruno Angelo

    Oi Martin,

    Me surpreendo com a quantidade de propaganda que recebes por correio, ainda em plena campanha para recusá-las. Quase fico magoado, sentindo-me ignorado pelas estratégias publicitárias do mundo! Está bem, sou músico, mas dinheiro para uma pizza ainda me sobra no final de semana… por outro lado, bem gostaria de uma campanha semelhante à tua no meu bendito e-mail da yahoo, que diariamente me renova as publicidades mais bizarras – inclusive publicidade de bancos de dados para ações publicitárias. Infelizmente, clicar em “se não quiser mais receber esses e-mails acesse aqui” é algo totalmente infrutífero, e frequentemente te conduz a mais publicidade. Abraço e força com a campanha!

    Curtir

    Resposta
    1. Martin D. Brauch Autor do post

      Bruno, meu caro: eu posso trocar o adesivo por um que solicite o encaminhamento a ti de todo material publicitário que pretenderem depositar na minha caixa de correio, que achas? 😉 Quanto ao spam no e-mail, realmente clicar em “clique aqui para não receber mais e-mails como este” é infrutífero em muitos casos. A solução mais eficaz é marcar como spam, mesmo! Outra coisa: trocar o e-mail do yahoo por um do gmail, porque tem um filtro de spam muito bom e também simplesmente… porque sim. 🙂 Abraço!

      Curtir

      Resposta
  2. Pingback: Não desejo receber material publicitário, mas azar o meu | Martin D. Brauch

  3. Pingback: Não desejo receber material publicitário: semana 2 | Martin D. Brauch

  4. Pingback: Tive de perguntar pra Leroy Merlin | Martin D. Brauch

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s