Semana longa e linda

A semana passada foi provavelmente a mais longa e linda que já vivi. É incrível: há mais ou menos dez dias ainda estava na Alemanha, e agora estou de volta ao Brasil e totalmente imerso no meu quotidiano de maluco! Tanta coisa aconteceu, e não quero deixar isso tudo passar em branco… Por isso, retomo os acontecimentos da quinta-feira, dia 27/03, até hoje.c Aí entra um dos grandes propósitos do Blog do Guri: publicar minhas impressões sobre a vida, não só para o meu leitor paciente e persistente, mas também para o Guri de daqui a algum tempo, ou mesmo para os netinhos que provavelmente não virei a ter!

Quinta-feira, 27 de março

Como tinha dito no post anterior, fui à cidade de Colônia (Köln) com duas amigas estagiárias do Secretariado, e lá encontrei outra amiga, ex-estagiária. Visitamos a majestosa Catedral, a maior igreja gótica do Norte da Europa (seguida pela de York, que também visitei, em dezembro passado!) e com a segunda maior agulha de torre (só menor que a da Catedral de Ulm… que também visitei, e até subi ao topo da torre com meu cunhado Volker, quando fui à Alemanha pela primeira vez, em 2001… em termos de turismo sacro, meu currículo tá bem intressante!). Depois dali, jantamos em um restaurante bem legal, tivemos papos profundos… e ganhei (mais!) presentes de despedida! E mais aperto no coração…

A Catedral de Colônia: é praticamente impossível tirar uma foto de toda a igreja, por isso está cortada… mas por isso também dá pra ter uma idéia da sua grandiosidade!

Da esquerda para a direita: eu, Barbara (Alemanha), Weili (China) e Outi (Finlândia)

Sexta-feira, 28 de março

Dia de despedidas no Secretariado… Coletei as últimas assinaturas de check-out do Secretariado: burocracia nostálgica, dizendo adeus a várias pessoas! Em seguida, ainda fiz meu último projeto de trabalho: criei uma lista de bookmarks úteis para futuros estagiários do Departamento Jurídico (tudo no contexto do meu trabalho como “intern focal point” – em desvio de função, claro, mas não importa). Almocei na cantina indiana, como sempre, com minhas amigas estagiárias, como quase sempre, mais o Cam (supervisor-tio) e outro amigo, um consultor do Secretariado que estava indo embora no mesmo dia. Recebi meu certificado (yuhu – estágio concluído!) e uma carta de recomendação generosa da minha supervisora. Ela ainda me convidou para uma caminhada à beira do Reno, para falar de “duas áreas em que eu posso melhorar”; uma conversa franca, agradável e puramente construtiva. Um dia desses eu conto mais sobre um dos aspectos a melhorar, que é totalmente verdadeiro (percebi direto!) e suscetível de discussão com os leitores do BdG. 😉

Por fim, distribuí os cartões de despedida que vinha escrevendo nas semanas anteriores… e fiz meu último “goodbye tour” pelo sexto andar do Secretariado! Já era o fim do expediente e por isso a Outi e a Weili foram embora comigo. No jardim do Secretariado, fizemos tantas fotos de despedida que nos sentíamos até celebridades. Ainda fomos comer chocolates caseiros (MmMmMmMm…) e jogar mais conversa fora em uma casa de chá em the Famous Kessenich Centre-of-the-Universe (pra quem não conhece a história: tá aqui!).

Eu e Weili, em frente ao castelinho do Secretariado (Haus Carstanjen)

Outi e eu, também em frente à Haus Carstanjen
(Créditos da espinha na testa: muito crêpe em Paris no findi anterior!)

Amei essa foto: até parece que eu tô felicíssimo de estar indo embora,
mas essa cara feliz é só porque as gurias estavam fazendo palhaçada pra eu rir!

Depois de muita resistência, despedimo-nos finalmente e me fui pro meu quarto na Kessenicher Straße, dar um jeito de empacotar toda a minha vida em Bonn nos últimos quatro meses… A Ca e o Volker me buscaram tarde da noite, e no caminho até a casa deles em Untershausen fui contando tudo o que escrevi neste post – só que eles tiveram o privilégio (ou: fizeram o sacrifício) de ouvir tudo com mais detalhes!

Sábado e domingo, 29 e 30 de março

Foram dois dias de relax, reempacotamentos e acomodações (quem me dera poder ter feito as malas de forma eficiente e perfeita em quatro horas na sexta-feira!), mas também das mais difíceis despedidas: minha irmã e meu cunhado foram tudo de Bonn pra mim durante meu período na Alemanha. Desde o início de janeiro, e graças ao meu telefone ultrabaratex (30€ para falar por 3 meses!), potencializamos nossa capacidade de transmimento de pensação: não sei quantas vezes eu pensava em falar com a Carina e ela me ligava, ou eu ligava pra ela e ela me dizia que estava pensando em me ligar… 😛

Foram tempos inesquecíveis de compartilhar, principalmente em nossas inúmeras (e intensivas) viagens pela Europa. Passeamos muito mais do que eu poderia imaginar em relativamente pouco tempo: Koblenz, Frankfurt, Luxemburgo, Zurique, Lausanne, Genebra, Dachau, Viena, Berlim, Paris… e tenho até medo de estar esquecendo algum lugar especial. Ah, claro: Untershausen, o QG da família na Alemanha.

Eu tinha prometido que só choraria no avião (e sou fiel aos meus compromissos). Embora eu soubesse que igual morreria de saudade, nossa despedida tinha que ser mais um “até logo” que um “adeus” – até porque logo eles estarão aqui no Brasil. E quando digo “logo”, quero dizer LOGO, mesmo: semana que vem já estarão aí. Claro que é porque não conseguiram viver sem mim por perto. 😉

Volker, Carina e Martin, com o QG ao fundo (e a bandeira mais linda do mundo!)

Segunda-feira e terça feira, 31 de março e primeiro de abril

Cheguei a Buenos Aires às 6h da madrugada da segunda-feira e já fui recebido no aeroporto pelo meu amigo Enri. Buscamos minha mamá argentina, Virginia, que estava na cidade, e fomos até sua casa em La Plata. Reencontrar esses (e outros!) amigos queridos e rever lugares que me trazem recordações tão boas foi quase como uma volta ao passado. Rapidinho eu tinha esquecido a longa viagem e a noite mal-dormida no avião. Estava de volta à Argentina depois de mais de um ano (ver este post e os seguintes), só que perecia que tinha saído de lá apenas alguns dias antes!

Foram só dois dias de visita, mas acho que consegui completar minha to do list:

  • Visitar Enri, Virginia, Alvaro e a pensão onde me senti em casa em La Plata;
  • Fazer de novo a caminhada de todos os dias até a Fundación Biosfera, onde fiz estágio, e pôr a conversa em dia com Horacio, meu chefe;
  • Encontrar meu amigo Bruno e conhecer sua namorada Andrea (coitados: eu falei tanto das minhas viagens e do meu estágio que devem ter ficado tontos!);
  • Coisas básicas: comer facturas (medialunas e outras), comprar alfajores e dulce de leche da Havanna, tomar mate argentino…

Fiz tudo isso e tanto mais nas entrelinhas: conheci ainda mais pessoas legais (argentinos e yankees, haha!), dei boas risadas, e pra completar me deliciei com as comidas (inclusive uma raclette vegetariana) da Virginia, uma cozinheira grega de mão cheia! Hehehe… 😉

Com parte da grande familia Konstantinidis,
minutinhos antes do ataque à raclette vegetariana (hummm…!)

Andrea, Bruno e eu, na estação terminal de La Plata
(o “casal metálico” dançando tango, ao fundo, não me deixa mentir!)

As novidades não terminaram, mas a incrível viagem do Guri à Europa (com paradinha na Argentina no retorno), infelizmente, sim… Este post serve de suave transição para meu novo (?) tempo aqui no Brasil, que de novo, aliás, tem pouco: voltei a fazer exatamente o que estava fazendo há quatro meses, antes de viajar! A parte realmente boa foi o reencontro com meus pais e com aqueles parentes e amigos que já tive a oportunidade de rever (claro que faltam muitos, ainda, mas isso só se resolve com bastante tempo!). Uma hora ou outra publico postálbuns-resquícios das minhas viagens; sei que ainda estou devendo alguns.

No mais, meu desafio agora (como muito bem colocado pela mamá Vir, que de La Plata às vezes lê o blog!) é, mesmo de volta ao Brasil e à minha rotina universitária sem-graça, continuar mantendo o BdG interessante (se é que ele já é interessante pra alguém). Se vou ter sucesso ou não, só o leitor poderá dizer, com o tempo. O certo é que vou seguir a empregar meus melhores esforços para vencer esse desafio! 😉

Uma ideia sobre “Semana longa e linda

  1. Juliano Torres

    eaí cara! não posso responder pra vc la no orkut pq sua pagina de recados está bloqueada para scraps de desconhecidos, mas respondendo por aqui:não nos conhecemos.adicionei vc porque estive vendo seu orkut e seu blog também, acho muito massa intercambios e viajens…achei que seria interessante ter como amigo alguém como vc para contatos profissionais e troca de experiencias!faço faculdade de engenharia quimica e tenho muita vontade de fazer intercambios…por isso te adicionei!abraço aí cara!

    Curtir

    Resposta

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s