Unwritten: trilha sonora do blog do Guri

Pensei que esse blog só teria coisas escritas por mim, mas não pude resistir. Unwritten é uma música de Natasha Bedingfield que a minha irmã Lucila um dia me mostrou. Pra ser bem sincero, da primeira vez eu nem ouvi direito a música… mas agora vejo que ela tem tudo a ver com a fase atual da minha vida – e em especial com o Blog do Guri e seus propósitos delineados no seu primeiro post. Por isso resolvi adotá-la como trilha sonora do blog. 😉

A letra segue abaixo, em inglês. Seria quase um assassinato poético traduzi-la, mas poderei fazê-lo se houver suficiente pressão (através dos comentários a esse post totalmente desconexo).

(Natasha Bedingfield)

I am unwritten
Can’t read my mind
I’m undefined
I’m just beginning
The pen’s in my hand
Ending unplanned

Staring at the blank page before you
Open up the dirty window
Let the sun illuminate the words
That you could not find
Reaching for something in the distance
So close you can almost taste it
Release your inhibitions

Feel the rain on your skin
No one else can feel it for you
Only you can let it in
No one else, no one else
Can speak the words on your lips
Drench yourself in words unspoken
Live your life with arms wide open
Today is where your book begins
The rest is still unwritten

I break tradition
Sometimes my tries
Are outside the lines
We’ve been conditioned
To not make mistakes
But I can’t live that way

Staring at the blank page before you…

Anúncios

10 ideias sobre “Unwritten: trilha sonora do blog do Guri

  1. Angélica

    ¬¬ alooww!! nem preciso pedir, neh?? mas se tu kiser posso traduzir na ferramenta d traduçao do google.. aih sim seria “assassinar” a música.. euaehaeuhaeuea.. abraço

    Curtir

    Resposta
  2. MDBrauch

    NÃO! Eu traduzo, eu traduzo! :PNão estou escrito(a)Não se pode ler minha menteSou indefinido(a)Estou apenas começandoA caneta está em minha mãoFinal não planejadoOlhando a página em branco diante de vocêAbra a janela sujaDeixe o sol iluminar as palavrasQue você não pôde encontrarChegando perto de algo à distânciaTão perto que você pode quase sentir o gostoLiberte suas inibiçõesSinta a chuva na sua peleNinguém mais pode sentir isso por vocêSó você pode deixar isso acontecerNinguém mais, ninguém maisPode falar as palavras de seus lábiosMergulhe-se em palavras não ditasViva sua vida de braços bem abertosÉ hoje que seu livro começaO resto está por ser escritoQuebro a tradiçãoÀs vezes minhas tentativasPassam dos limitesFomos condicionadosA não cometer errosMas não posso viver assimOlhando a página em branco diante de você…

    Curtir

    Resposta
  3. MDBrauch

    Não é nada, que injustiça! Só porque escolhi uma trilha sonora tudo a ver pro blog! E porque tenho que estudar hoje e não teria tempo de postar! 😉

    Curtir

    Resposta
  4. MDBrauch

    Tá, vocês estão de complô e pronto… sacanagem! 😛 E a presunção de inocência? Quero provas em contrário! :DO lema “a fé remove pessoas” é também muito válido! Hahaha… Trata-se de uma teoria que desenvolvemos, na turma 303/2002 do CEFET-RS – Letícia, Sandrine, Martin e outros. Pra caminhar no centro de Pelotas, constata-se que é preciso desviar de todas as pessoas, porque parece que além de ti ninguém pode fazer a gentileza de desviar. “A fé remove pessoas” porque o segredo é seguir andando, feliz da vida (e meio tratoristicamente), com fé em que as pessoas saiam da frente. Testem empiricamente pra ver se funciona!

    Curtir

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s