Agra (4/4): Aurora no Taj Mahal

A ideia de uma visita ao Taj Mahal logo após o nascer do Sol foi uma das melhores da agência de viagem. A experiência é muito favorecida pela iluminação natural do alvorecer, com seus tons suaves de azul e rosa, e pela quantidade relativamente baixa de turistas (é um dos monumentos mais visitados do mundo, então sempre há um número significativo de turistas).

Depois da longa fila no ar gelado da manhã, avistar o Taj Mahal de longe já foi compensador.

Outra vantagem de visitar o Taj Mahal pela manhã é que, bem cedo, os jatos do espelho d’água ainda não foram ligados. Só assim (e num dia sem vento, como no da minha visita) é que se conseguem reflexos límpidos do mausoléu sobre o espelho d’água.

Olhando para trás, o portão de entrada e seu reflexo sobre o espelho d’água.

Turística foto, sentado no mesmo banco onde a Princesa Diana foi fotografada 21 anos antes, em 1992, quando viajou à Índia com o Príncipe Charles. Além da ironia de Diana ser fotografada sozinha em frente a um dos mais significativos monumentos ao amor, é irônico que tenha sido naquele mesmo ano, meses depois, que ela e Charles se separaram.

Fofocas da realeza à parte, sigo com as fotografias do meu passeio!

Impressiona a riqueza de detalhes do Taj Mahal, mesmo nas partes mais altas.

No detalhe, decorações florais e passagens do Alcorão, o livro sagrado do Islamismo. Essas textos também foram feitos com a técnica de pietre dure, com mármore preto incrustado no branco.

Nas paredes da entrada do mausoléu (dentro do qual a fotografia é proibida), há entalhes florais em placas de mármore, com uma moldura de padrões florais em pietre dure.

Vale ressaltar a dificuldade técnica desses entalhes. Enquanto outros tipos de mármore (como o de Carrara, muito usado para esculturas na Europa) são considerados mais macios, a dureza do mármore de Makrana torna-o mais propício à construção de estruturas, como o próprio Taj Mahal.

Detalhe dos arcos que há em cada corte dos vértices do mausoléu. Tudo perfeitamente simétrico.

A mesquita do Taj Mahal, ao Norte do mausoléu.

Uma foto do lado Sul do mausoléu, sem os minaretes. Resta pouco da iluminação do alvorecer.

Última foto: o Taj Mahal, inteiro e plenamente iluminado, no seu lado Sul.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s